As Músicas do Estandarte – Um Gesto Qualquer

Estandarte - Rafael SilveiraComeçou!

As nossas análises de músicas por aqui já fazem o maior sucesso há dois anos (quem diria! Dois anos!). A gente começou com o Cosmotron, foi para o Maquinarama e fez o Velocia ganhar uma cara nova na mente de todos os fãs. Agora, depois de uma árdua disputa no nosso Grupo do Facebook, o Estandarte levou a vez.

Inicialmente a gente tentou mudar o formato de envio, mas percebemos que vocês não gostaram desse jeito, então, voltamos ao formato inicial. Só não podemos deixar de prestigiar as pessoas que já tinham nos enviado suas análises, como é o caso da fã Carolina Domingues, que enviou a análise abaixo para Um Gesto Qualquer. Acompanhe o que a moça escreveu sobre a canção.

Sou apaixonada por Um Gesto Qualquer, nunca me canso de ouvir. Por coincidência foi escrita por um dos meus compositores preferidos: Chico Amaral, junto com o Samuel, não sei se isso me influenciou a considerar ela uma das melhores do álbum, mas sei que o ritmo e a letra me encantaram.

A letra é simples e direta, relata uma coisa que acontece ou já aconteceu na vida de muitos casais, quando o relacionamento vira rotina e um lado deixa de se importar. O relacionamento vai da paixão ao tédio, do prazer ao vício, da alegria à mágoa e do amor à submissão. Um lado já não liga mais pra tudo aquilo, e o outro ainda espera por um gesto qualquer pra não deixar de se importar, um gesto qualquer pra não tornar o amor que já existiu, algo irrisório.

E aí, o que achou da análise?

Ainda dá tempo de mandar a sua! Acompanhe nosso grupo no Facebook e esse lindo site para ver quais são as próximas análises e participe você também!

Um Gesto Qualquer – Skank

Ele liga a TV e você não quer saber
Futebol, sexo e ação capturam toda atenção

Da paixão ao tédio quantos dias caberão
Ele tem que trabalhar, você tem que ver a situação

Do prazer ao vício é só uma leve distração
Do amor à solidão quantas noites ainda correrão

Ele não notou e você espera ainda
Nem sequer ouviu você dizer que não importa mais
Que não se importa mais

Ele pede um café e mergulha em seu jornal
Você sabe como é tudo isso parece tão normal

Da alegria a mágoa, uma velha tradição
Do amor à submissão um percurso torto da ilusão

Ele não notou e você espera ainda
Nem sequer ouviu você dizer que não importa mais
Que não se importa mais

Abraços e beijos,

Equipe FC Skankarados

Fevereiro 18, 2015

Etiquetas:, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *