Faixa a Faixa – Velocia – novo disco do Skank

Velocia_SkankA gente se inspirou no blog Música Pavê pra contar pra vocês o que a galera que faz esse fã clube tá pensando das canções no novo trabalho do Skank. Confira nossos comentários pra cada uma das músicas do Velocia e conta pra gente depois o que vocês acharam.

1 – Alexia – Skank sendo Skank. Uma música que fala de futebol, fala de Alexia, super jogadora do Barcelona, mas…. espere… não é só futebol! O que chama atenção são as menções a elementos característicos de Barcelona, como cidade. Rambla, Barceloneta e dança sardana. Mais adiante há menção ao “Samba do Avião”, famosa música de Tom Jobim, talvez fazendo referência ainda à Barcelona, conhecida como o Rio de Janeiro da Europa. E quem discorda? A melodia é bastante interessante. Nando Reis além de assinar a letra da canção participa discretamente dos vocais nos minutos finais. Futebol e Skank é sempre sucesso! (Ísis)

2 – Multidão – A primeira música composta pelo Skank pra esse novo trabalho, “Multidão” completa a série de canções de protesto da banda, acompanhada de clássicas e lado’s B da carreira como “Indignação”,  “Esmola”, “Sem Terra”, “Rebelião” e tantas outras. A música fala das manifestações populares que tomaram o Brasil em junho de 2013 e de como o povo não deve se calar diante dos absurdos que estão espalhados pelo nosso país. BNegão participa com uma canção incidental no trabalho, dando o tom para o som que pode ser trilha sonora de outras manifestações por aí. (Rakky)

3 – Do Mesmo Jeito – Essa música é daquelas românticas que só o Skank sabe fazer – não é brega, não é triste e só te dá vontade de sair correndo e abraçar todo mundo pela rua! Seria efeito do naipe de metais? Com a parceria do Lucas (da banda Fresno), tem tudo pra ser o melhor hit desse CD, falando de um amor que dura, de um amante que se entrega e tem certeza que aquele sentimento é a única coisa de que ele precisa para ser feliz! (Jujuba)

4 – Aniversário – De início pode não chamar tanto a atenção, mas uma letra tão rica em palavras imponentes e que potencializam coisas boas pro seu astral, soando até como algo exotérico, mostram a força da Lia Paris, não só cantando, mas compondo. Típica canção com letra fácil de decorar mas com conteúdo, que eleva o ânimo em dias chatos, sem inspiração, afinal, o universo sopra em sua direção! (Kenji)

5 – Ela Me Deixou – a música começa com aquela batidinha meio reggae que já conhecemos do bom e velho Skank. O primeiro single do disco dá indícios de ser a próxima “Vou Deixar”,  pela leveza e, claro, pelo seu efeito chiclete. Gostosa de ouvir, com um clipe que a gente já adorou e todo um frisson em volta da ação que eles fizeram no Vine e Twitter para divulgação , tem cara de música que os fãs (e não fãs também) vão curtir muito nos shows! (Jujuba)

6 – Esquecimento – Sabe aquela melodia de violão que já faz você sentir que vai chorar ouvindo uma música? Essa é a sensação de dor no coração que os primeiros versos de “Esquecimento” vão te dar. Irmã caçula de “Sutilmente”, a música acerta os ponteiros de um casal que não consegue se entender, mas que se quer por perto, antes que sua história caia no esquecimento. Uma balada linda, para inspirar histórias de amor! (Rakky)

7 – Périplo – Com ritmo contagiante a ponto de ser impossível ficar parado, Samuel e Nando Reis lançam uma música com o mais fino e fiel pop rock desse CD. A letra com rimas fáceis e rápidas, uma historia de encontros e desencontros de olhares que não conseguem se afastar por muito tempo. (Ísis)

8 – Rio Beautiful – Dançante sem ser pedante, fofa sem ser melosa, “Rio Beautiful” mostra as rimas espertas de Emicida se misturando à já conhecida métrica do Skank, num relato de admiração e de urgência. “O esquema / o lema é ser seu par / Postar / Uma cena pra se guardar” e o refrão que se segue mostra a urgência de uma relação marcada pelas redes sociais, em que a distância faz diferença. (Rakky)

9 – Galápagos – A descrição de maresia feita por Samuel Nando Reis para as ilhas de Galápagos, na costa do Equador, conta uma história de um lugar paradisíaco que recebe uma outra história. Praiana sem ser “Trancoso” a canção é do tipo que vai ficar no lado B do disco, mas que a gente vai querer ver ao vivo por um bom tempo. (Rakky)

10 – A NoiteChico Amaral não poderia ficar de fora. Skank sem Chico não é Skank. Apesar de apenas uma música nesse álbum, Chico segue fazendo o que faz de melhor: ser um politicamente incorreto. A letra trata do submundo atraente da noite, com quartos de hotéis animados e trocadilhos inusitados. Nos vocais, Samuel retorna aos timbres de voz mais graves, mais comuns nos álbuns mais antigos, como Calango ou Siderado.(Ísis)

11 – Tudo Isso – Envolve “tudo isso” que te faz lembrar de coisas boas, uma música cheia e leve, gostosa de ouvir e cantar, romântica e engraçada. É meio vintage, recordando coisas que parecem bobas mas que já te fizeram muito feliz, como soltar bolhas de sabão já causaram muitas alegrias, polaróides, ir ao parque!! Nada melhor que uma música animada e com um astral tão up quanto esse e que ainda fala de amor! Uma letra muito do jeito Skank de ser e, parafraseando o Samuel ao elogiar o Chico Amaral por “Amores Imperfeitos”… belos versos, Emicida(Kenji)

E aí, o que acharam das nossas palavrinhas sobre as canções do Velocia? Fique ligado porque em breve a gente começa a terceira temporada das “Análises Skankaradas”, dessa vez, com o Velocia. Aguardem!

Abraços e beijos,

Equipe Skankarados

Agosto 10, 2014

Etiquetas:, , , ,
  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *