Dossiê Skankarado – Nando Reis

Nando-Reis

Assinando 6 das 11 faixas do Velocia, novo disco do Skank e com uma carreira inteira de sucessos para compartilhar a assinatura com Samuel Rosa, o cantor e compositor Nando Reis entrou há tempos na vida dos nossos quatro mineiros favoritos. Confira abaixo um pouco dessas histórias no nosso Dossiê Skankarado*.

José Fernando Gomes dos Reis, ou simplesmente, Nando Reis, é atualmente um dos principais parceiros e letristas do Skank e, divide com Chico Amaral o ranking de maiores sucessos da banda. Nasceu em São Paulo em 12 de Janeiro de 1963 e tem 51 anos. Tem 7 álbuns de estúdio, em sua carreira solo e outros 13 com os Titãs, banda em que ficou conhecido por sua passagem como vocalista e baixista até 2002, quando iniciou seu trabalho solo com Os Infernais.

Além de para o Skank, Nando já compôs letras para Marisa Monte, de quem já foi namorado, Jota Quest, a saudosa Cássia Eller e até mesmo o Cidade Negra, naquele que certamente é o maior hit da banda, “Onde Você Mora?”. Outra função musical que o cantor já desenvolveu foi a de produtor, já que já foi responsável por trabalhos de gente como  Jorge Bem JorCássia Eller. Com tantas parcerias de sucesso (sem contar as não listadas aqui), não é de se surpreender que Nando seja um dos maiores arrecadadores de direitos autorais no mercado fotográfico.

Ganhou seu primeiro violão aos 7 anos de sua avó Jú e não largou o instrumento até hoje. Seus cinco filhos, Theodoro, Sophia, Sebastião, Zoé e Ismael participam tanto de sua vida que alguns até já ganharam canções, como “Espatódea” (para Zoé) e  “O Mundo É Bom Sebastião” para Sebastião. Seu primeiro show com os Titãs foi em 15 de Outubro de 1982 e dai pra frente, música seria sua vida.

Teve uma ótima iniciativa ao se ver sem gravadora, quando criou em seu website a pergunta “E você, quanto pagaria?” no álbum “Sei”, lançado em 2012. Com o convite à reflexão, os fãs acessavam o site e além de ouvir as 15 faixas do álbum, poderia precificar o valor que ela pagaria e após isso, caso quisesse, ai sim comprar o disco.

A parceria com o Skank teve inicio em 1995, em um encontro no Rockgol da MTV entre membros do Skank e dos Titãs. A primeira música da parceria foi a eterna “É Uma Partida de Futebol” de O Samba Poconé. Após essa, pelo menos uma composição de Nando figurou em cada álbum novo que o Skank viria a produzir.

No Siderado veio “Resposta” que fez tanto sucesso e ficou tão bonita que ganhou a regravação para lá de especial do mito Milton Nascimento. No Maquinarama foi a vez de “Ali” dita por Nando na gravação do VH1 Skank & Nando Reis como algo que ele sentia-se feliz de ter composto e que a acha linda. O cantor gosta tanto de sua obra que “Ali” figura no CD/DVD Sei Como Foi em BH de 2013 e foi até mesmo tocada no show de Nando com Samuel no Rock In Rio de 2013!

No Cosmotron a parceria foi aumentada com a inclusão de Lô Borges na composição de “Dois Rios”, letra rica em detalhes, talvez a mais complexa da carreira do Skank a figurar entre as mais tocadas no Brasil!

No Radiola, a bela “Onde Estão?” foi a canção da parceria inclusa na coletânea, mas acabou preterida na escolha para singles do álbum. No Carrossel, “Eu e A Felicidade” foi a música da parceria. A música agradou tanto que foi uma das tocadas por Samuel quando Nando o convidou para seu Luau MTV. Outro sucesso registrado na ocasião foi “Resposta”.

Chegando ao Estandarte, a parceria cresceu. O hit “Ainda Gosto Dela”; o megahit “Sutilmente”“Pára-Raio” que figurou na trilha sonora da novela “Caminho das Índias” e “Renascença” que tem aberto os shows do Skank desde o show no Mineirão Ao Vivo, de 2010, infelizmente, apenas com o seu solo inicial, já que a música não é executada em sua totalidade (para desolação total dos fãs skankarados!).

O álbum gravado pós Mineirão 2010 contou com as composições “De Repente”, o primeiro reggae composto por Nando e Samuel, além de “Presença”, que em seu clipe marcou a estreia da parceria de outro grande compositor, o rapper Emicida.

Chegado o ano de 2014, ano do novo álbum do Skank e Nando Reis marcou de vez território em solos mineiros e skankarados: a já single e conhecida Brasil afora “Ela Me Deixou”, a futebolística “Alexia”, a inflamada “Multidão” que ainda conta com música incidental de BNegão; o próximo single do trabalho “Esquecimento”; além de “Périplo” e “Galápagos”. Não perdeu o fôlego? Então pode colocar na cabeça: Nando Reis já compôs nada mais, nada menos que 18 músicas com Samuel Rosa, para registros no Skank, sendo 8 delas (até agora), sucessos de público e mídia.

O Velocia também conta com as primeiras participações cantando em canções do Skank, de forma oficial, já que no VH1 foi dito pelo próprio Samuel, que o Nando participou de “Ali”, cantando no trecho final da música.

De fato, a primeira vez que Samuel e Nando tocaram juntos em um mesmo palco, foi no VMB, quando unidos a Milton Nascimento e Lô Borges, fizeram uma apresentação épica na premiação daquele ano. O grande show da dupla, sem a presença de Henrique, Haroldo e Lelo, foi no Rock in Rio de 2013.

Junto do Skank, Nando já se apresentou algumas vezes, mas os maiores registros ficam por conta do programa VH1 e do show do Skank no Rock in Rio, em 2013.

E aí, você sabia tudo isso a respeito do Nando? Não? Quer conhecer mais a respeito de outros parceiros do Skank? * Confira também os dossiês que fizemos para Lucas Silveira, Oriol Angrill JordàBNegão e Lia Paris.

Abraços e beijos,

Equipe Skankarados

Agosto 5, 2014

Etiquetas:, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *