Entrevista exclusiva com Henrique Portugal e Lelo Zaneti

Sim. É isso aí que você acabou de ler. Nós do fã-clube Skankarados conseguimos, graças a parceria mega companheira da Equipe Skank, uma entrevista exclusiva com o HP e com o Lelinho, para falar de algumas curiosidades do novo CD, o Skank 91. Na entrevista, fizemos algumas perguntas sobre o período pré-Skank, como foram as emoções do lançamento do primeiro álbum e como eles pensavam naquela época. As respostas para essas perguntas você vai acompanhar aqui no blog, em duas partes.

Tá esperando o quê? Dá uma lidinha aí, porque essa é só a primeira!

1.      Em alguns shows, você costuma pegar o celular e gravar o público cantando. Nós fãs podemos ter a esperança de ver algum material desse tipo sendo lançado de alguma forma? O que normalmente faço com o celular é tirar algumas fotos e colocar nas redes sociais do Skank. Acho legal fazer isto pois é uma visão privilegiada de quem está no palco. Às vezes dá tempo de colocar as fotos online no twitter. Não dá tempo de fazer muita coisa.

2.      O show do Aeroanta foi anunciado em jornais da época como “o show da nova banda do ex-tecladista do Sepultura”. Como você se sentia sendo a referência da época ao que seria uma das maiores bandas do país?  Na verdade este foi um jeito de conseguir um pouco de divulgação para uma banda  (Skank) que ninguém conhecia em São Paulo na época. Nunca fui do Sepultura, apenas gravei teclados em 3 álbuns, o Schizophrenia, Beneath the Remains e Arise.

 

1.     A recém acabada “Pouso Alto”, banda do Samuel e do Henrique, deu lugar ao Skank naquele show de 1991. Como você via o projeto de tocar reggae na banda quando foi chamado para tocar em São Paulo naquele show do Aeroanta? Acho que a afinidade pessoal e musical com os “meninos” de longa data (mesmo na época do Pouso Alto), trouxe tamanha segurança pra todos nós, que não só o Reggae (outros ritmos,riffs,timbres e vocais), eram e continuam sendo desafios instigantes e propulsores de fortes expressões musicais e estéticas, que nos dão muito prazer.

2.     Você é conhecido pelas fãs como o “Menino Culto” do Skank, por ser multi-instrumentista, estar sempre com um bom livro embaixo do braço e ajudar na composição de algumas das músicas mais intensas do Skank (Garrafas, Te Ver, Resta Um Pouco Mais e Canção Noturna). Você se vê desse jeito na banda? Já era assim em 91? Obrigado pelo elogio! Acho mesmo que aprendi a descobrir novos universos (música, literatura, cinema, videoclip, entre outras), através da nossa convivência, que considero muito rica, divertida e instigante. Em 1991, com certeza eu era uma pessoa diferente, isso é natural.

E aí, gostaram? A gente só tem que agradecer muito aos queridíssimos Lelo e Henrique que tiraram um tempinho do seu atribulado dia a dia para responder a essas perguntinhas pra gente. Semana que vem a gente posta a segunda parte da entrevista!

Abraços e beijos,

Equipe Skankarados

  • Uau, que legal !!!
    Muito bacana a entrevista, o HP e o Lelinho como sempre muito atenciosos. Gostei muito das perguntas selecionadas, a pauta muito bem elaborada, quero dar meus parabéns ao Fã-clube Skankarados… Sempre inovando heim! É isso aí…
    Trazendo notícias e novidades da nossa banda do coração!
    Grande abraço aos Skankarados

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *